Marcas Exclusivas Foz Gourmet Existem 12 marcas

  • Agrapart

    A casa de champanhe de Agrapart et Fils está localizada na encantadora vila de Avize, no coração da Côte de Blancs. A propriedade foi fundada em 1894. No entanto, ao contrário de muitas das pequenas casas produtoras de champanhe que só recentemente começaram a comprar os vinhos e vendê-las com os próprios rótulos, a família Agrapart fez isso desde o início do domaine. A vinha foi fundada por Arthur Agrapart, e hoje é gerida pela quarta geração da família. Os dois irmãos Agrapart, Pascal e Fabrice, continuam a manter o mesmo compromisso com a excelência e os vinhos artesanais que conquistaram a excelência do domaine refletindo-se na sua fiel base de clientes em França. Os Agraparts possuem nove hectares e meio de vinhedos predominantemente chardonnay, a grande maioria Grand Cru, no coração da Côte de Blancs (principalmente nas aldeias de Avize, Oger, Cramant e Oiry).
  • Allegrini

    A família Allegrini tem desempenhado um papel de liderança na história do fumane e da Valpolicella desde o século XVI e passou a cultura da vinificação de geração em geração. O amor pela terra tem sido a força matriz por trás do compromisso da família Allegrini para aumentar o potencial da Valpolicella e suas tradições vitícolas. As escolhas perspicazes feitas pela empresa fizeram dela uma das principais empresas de vinhos da Itália e, portanto, a nova geração de vinicultores em Valpolicella considera os vinhos Allegrini como uma referência indiscutível. Valpolicella, uma das mais prestigiadas regiões vinícolas da Itália, tem se dedicado à produção de vinho desde a antiguidade, como sugere a etimologia de seu nome: “val polis cellae” significa, de fato, “o vale de muitas adegas”.
  • Avignonesi

    A adega tem o nome da família Avignonesi, os fundadores da propriedade original. Constante pesquisa e desenvolvimento que visa expressar o verdadeiro caráter do terroir Montepulciano tem, ao longo do tempo, a adega ganhou um lugar merecido entre os principais produtores da Toscana. Em 2009, a Avignonesi foi adquirida pela Virginie Saverys, que desde então introduziu métodos agrícolas biológicos e biodinâmicos para criar vinhos genuínos e distintos com um caráter ainda mais forte e adquiriu vinhas adicionais e uma instalação de produção de última geração na denominação de Montepulciano. Acreditam que a força vital da terra e a singularidade do seu terroir estão no centro da marca. Avignonesi renasce do solo das vinhas com cada vintage em vinhos que espelham os sabores sutis do local e os traços especiais de cada ano. Os vinhos expressam a riqueza e a beleza do território de Montepulciano. Respeitando a herança de Montepulciano, onde os vinhos Sangiovese são produzidos há séculos, e desejando contribuir para o seu futuro sendo o melhor representante da sua herança que possam ser. Respeitam o caráter inato de cada vinho e procuram seguir o seu caminho evolutivo natural do solo até o porão e - finalmente - até a garrafa.
  • Corte Giara

    Corte Giara é uma marca de vinhos do grupo Allegrini. O conceito de Gorte Giara é fornecer vinhos para "todos os dias" que unem o respeito pela tradição com uma abordagem moderna, eclética e internacional. Vinhos que são tipicamente crocantes, altamente aromáticos e fáceis de beber, destinados a uma clientela jovem em busca de qualidade a um preço atraente.
  • Dal Forno Romano

    Principalmente conhecida pelo seu famoso Amarone della Valpolicella, a vinícola Romano Dal Forno produz três vinhos, todos característicos da região em que a vinícola está situada, distinguindo-se na sua constante e total busca pela qualidade absoluta. Nascido ao lado das vinhas da sua família, o fundador cresceu com um amor pelo campo e uma paixão eterna pelo seu trabalho, dedicando a sua vida à melhoria contínua. Durante anos, graças ao compromisso de toda a família, a empresa alcançou padrões inigualáveis ​​no objetivo inabalável de dar prazer e emoção únicos a todos os que bebem um produto Dal Forno. O contínuo reconhecimento internacional, que é recebido diariamente, compensa todos os escrúpulos, sacrifícios e a atenção dada aos procedimentos de trabalho, nas vinhas e na adega, e dá a força e energia necessárias para garantir que os horizontes de excelência sejam sempre transferidos para o próximo nível.
  • Dourthe

    Fundada em 1840, Dourthe é atualmente uma das maiores empresas de vinho em Bordeaux. A sua perícia vitícola, padrões de qualidade exigentes, compreensão inerente do vinho e a sua abordagem dinâmica são unanimemente reconhecidos e recompensados ​​pela indústria do vinho em geral. Em primeiro lugar e acima de tudo, orgulhosamente proprietário de alguns prestigiados Chateaux de Bordeaux  e também criador de vinhos de qualidade premium, Dourthe observa uma política de qualidade intransigente em todos os seus vinhos, e sua abordagem é revisada e ajustada anualmente. Este compromisso constante para exceder os nossos limites é evidente em todas as fases do processo de vinificação, de modo que cada vinho Dourthe Bordeaux é uma referência, vintage após colheita. Através de suas parcerias estreitas com produtores selecionados por seus terroirs e potencial de qualidade, rigorosamente monitorizando os melhores blocos de videiras, seleção de uvas da mais alta qualidade e meticuloso processo de vinificação e envelhecimento, Dourthe desenvolveu uma verdadeira mestria no envelhecimento de vinhos finos, com vinhos como Dourthe Nº1 e La Grande Cuvée.

  • Egon Müller

    A propriedade Egon Müller está nas mãos da família Müller desde 1797. Nos vinhedos íngremes de ardósia de Mosel, o mestre enólogo Egon Müller produz Rieslings de tirar o fôlego. A propriedade possui 8,3 dos 28 hectares da famosa vinha Scharzhofberg, na região alemã de Mosel-Saar-Ruwer. A família explora ao máximo a exploração de um único vinhedo e, consequentemente, está classificada entre os principais produtores de vinho da região. Estes vinhos são toscos e atrevidos, com frutas deslumbrantes. São severamente minerais e têm um infinito nish. Os vinhos da Egon Müller são todos feitos com frutas cultivadas em propriedades de duas parcelas: 8,3 hectares de Scharzhof e 4 hectares de Le Gallais. O Scharzhofberg, ou Scharzhof Mountain, está entre os locais do ninho Riesling na Alemanha e é considerado Grand Cru. Como tal, é permitido ser rotulado com o nome da vinha, ou "Einzellage", em vez do nome da aldeia. As propriedades de Müller incluem uma parcela de videiras não enxertadas que foram plantadas no século XIX. Estes vinhos oferecem o mais alto nível de qualidade e são inquestionáveis ​​entre os grandes vinhos do mundo. São jovens finos, equilibrados, autênticos e agradáveis, bem como após muitos anos de adega. A família Müller incorporou as suas propriedades adquirindo a Weingut “Le Gallais” em Wiltingen em 1954. Egon Müller também pertence à Primum Familiae Vini, um pequeno grupo de produtores familiares de elite onde ele é o único membro alemão.
  • Grand Bateau

    Desde 1980, o Grand Bateau é o fruto da colaboração entre Maison Barrière e Chateau Beychevelle, empresa irmã. O barco que decora este rótulo é o galeão mítico do famoso Château Beychevelle que participou e patrocinou a concepção e criação do Grand Bateau. Hoje, Philippe Blanc, enólogo da Château Beychevelle, fornece a orientação técnica definitiva no famoso conjunto de vinhos. Elaborado pelo enólogo a partir de uma selecção dos melhores vinhos das propriedades parceiras, o Grand Bateau encarna a complexidade do grande Bordéus. Estilisticamente impecável, consistente e único, o Grand Bateau é feito para satisfazer tanto os consumidores jovens quanto os amadores confirmados.
  • Grupo Pesquera

    Apaixonado pelo vinho há mais de quatro décadas. As quatro bodegas que compõem o legado de vinhos de Alejandro Fernández, e constituem o Grupo Pesquera, compartilham uma paixão pela vinificação que foi aperfeiçoada ao longo do tempo. O forte vínculo com a terra natal deste grande produtor também se reflete no emblema do grupo: o simbólico Arco e a Torre de Pesquera de Duero, o rótulo característico dos seus míticos vinhos Tinto Pesquera. Inúmeros prêmios endossam os vinhos; prêmios colhidos ao longo dos 40 anos de experiência em vinificação. É, sem dúvida, um sonho tornado realidade para Alejandro Fernández, cuja máxima sempre foi possuir uma bodega e fazer vinhos finos. Hoje pode-se dizer que a realidade superou o sonho e que Alejandro, as suas bodegas e os seus vinhos ganharam reconhecimento e apreciação em todo o mundo.
  • Joseph Perrier

    Joseph Perrier sempre esteve ligado à história, em ocasiões que foram de alto nível e privadas. A Casa sempre celebrou as realizações humanas, desde a inauguração do Concorde em 1976 e, mais recentemente, a apresentação do prêmio Nobel de medicina. Os «Cuvées Royales» celebram o relacionamento com a Rainha Victoria e o Rei Edward VII, uma distinção que ainda orgulhosamente caracterizamos nos rótulos hoje. Todos os dias, seja notável ou não, a filosofia de Joseph Perrier permanece a mesma: aproveitar plenamente o momento, seguir a verdade e desfrutar da perfeição simples, encorajando os outros com uma perspectiva semelhante. Nosso objetivo não é aumentar os rendimentos em fazer, em vez de usar o mínimo necessário para melhorar a saúde e equilíbrio nas vinhas, sempre tendo o cuidado de estudar e criar um programa para cada parcela individualmente. Sentimos que o nosso champanhe continua a ser um produto feito à mão. Cada garrafa efetivamente passa por 10 pares de mãos em sua produção e isso respeita os caminhos do passado e continua a sensação de que ainda estamos fazendo um produto artesanal hoje.
  • La Rioja Alta

    Sempre em evolução, uma referência internacional. No início do verão de 1890, La Rioja Alta, S.A. foi fundada por cinco famílias que compartilhavam uma paixão comum pelo vinho. Foi o início de uma busca contínua pela excelência que os seus descendentes ainda buscam. Desde então, conseguem extrair o melhor do casamento entre a tradição em envelhecimento de vinhos e a tecnologia de ponta em fermentação de uva. Os vinhos tornaram-se uma referência internacional para os melhores vinhos de Rioja. O vinho de qualidade será sempre a sua grande paixão. A busca da excelência marca o caminho que os fundadores nos mostraram e que hoje, 125 anos depois, é uma constante. Para isso, é essencial conseguir uma integração vertical e controle de cada fase que compreende o trabalho - desde a vinha, durante a vinificação e envelhecimento, até a distribuição e venda dos vinhos.
  • Olivier Leflaive

    Logo após a Primeira Guerra Mundial, o avô de Olivier, Joseph Leflaive, enfrentou o fracasso da sua fábrica de aço em Saint-Etienne. Os seus investimentos na Borgonha eram tudo que ele havia deixado e decidiu ampliar sua vinícola. Tornou-se uma operação familiar cobrindo cerca de 35 hectares. O filho, Joseph Régis, estava segurado e junto com o irmão Vincent, decidiu assumir as rédeas em 1953. A propriedade logo começou a produzir vinhos de primeira linha, principalmente devido à chegada do ar condicionado em Puligny na década de 1970. Este foi um grande passo para os produtores de vinho nesta aldeia que fica dois metros acima do lençol freático e, como tal, não tinha adegas subterrâneas. A filosofia de Olivier Leflaive é produzir simplesmente excelentes vinhos. Não há segredos para isso - tudo começa nas vinhas com boas uvas. Olivier, Franck e sua equipa têm sorte de ter um forte relacionamento com alguns dos melhores produtores de vinho da Costa, pessoas que cultivam as suas videiras com cuidado e atenção. O trabalho da equipa reflete o espírito de família da empresa. Um núcleo sólido de pessoas faz parte dessa aventura há muitos anos, o que garante uma abordagem rigorosa e busca constante por melhorias. A vocação de Olivier Leflaive não é apenas fazer um bom vinho. É também trazer um rosto humano para o mundo do vinho e dar-lhe vida nova.
Apresentando 1 - 12 de 12 itens